As Estrelas Mais Brilhantes

Sum_Pleiades_Dec_2007_4_x_10_mins_each_2x2_RGB_ps_1_lowEsta seção tem claramente dois objetivos fundamentais: Informar ao observador uma lista das estrelas mais brilhantes, visíveis a olho nu, e as suas características, e servir de guia para os interessados que desejarem colocar em prática o Programa de Observação de Estrelas Variáveis, que consta em outra seção deste blog. Ressaltamos a importância do conhecimento das estrelas mais brilhantes, pois elas são “o guia” para encontrarmos os outros objetos no céu. Sendo estrelas visíveis a olho nu, podem servir de referência principalmente quando da observação astronômica a partir da zona urbana, onde a intensa poluição luminosa não deixa muitas escolhas na hora de se orientar. Para o sucesso de um programa de observação de estrelas variáveis devemos ter um bom conhecimento de orientação, que é fundamental para nos localizarmos no céu, buscando por constelações e chegando até a estrela desejada. Portanto, esta seção é importantíssima para o amador que quer observar de modo mais sério, com o objetivo de coletar informações científicas. Porém, o conhecimento das estrelas mais brilhantes servirá de modo geral a todo observador, independente do que busque no céu, pois elas são a referência básica para a localização e orientação nas cartas celestes.

          Estrela        Constelação Magnitude  Aparente
    
1 Sirius Canis Major     -1,46  
2 Canopus Carina     -0.72  
3 Alpha Centauri Centaurus     -0,28  
4 Arcturus Bootes     -0,05  
5 Vega Lyra      0,03  
6 Capella Auriga     0,08  
7 Rigel Orion     0,12  
8 Procyon Canis Minor     0,38  
9 Achernar Eridanus     0,46  
10 Betelgeuse Orion     0,50  
11 Hadar Centaurus     0,61  
12 Aldebaran Taurus     0,85  
13 Antares Scorpius     0,96  
14 Spica Virgo     0,98  

 

Na tabela acima, estão indicadas as estrelas mais brilhantes, com a indicação da magnitude aparente. O que é a magnitude aparente?

Em Astronomia, magnitude aparente é uma escala para comparação do brilho das estrelas desenvolvida pelo astrônomo grego Hiparco, há mais de 2000 anos.

A magnitude aparente fornece uma forma de comparar quão brilhante um objeto parece em relação a outro, mas não quão brilhante ele é. Isto porque a magnitude aparente depende da distância em que o objeto se encontra. Quanto maior for o brilho aparente do astro, menor será o valor da sua magnitude.

Para aprender mais consulte:

O que é magnitude aparente: http://pt.wikipedia.org/wiki/Magnitude_aparente

O que é magnitude absoluta: http://pt.wikipedia.org/wiki/Magnitude_absoluta

Quando usamos uma carta celeste, geralmente encontramos a legenda abaixo, que mostra a variação de magnitude das estrelas em questão. Por convenção, as estrelas são representadas por círculos de diferentes tamanhos, mas vale lembrar que no mundo real as estrelas são pontos de luz de diferentes intensidades. No exemplo abaixo, a magnitude -1 é a mais intensa, e a magnitude 6 a mais fraca para a visão humana. Para comparação, na zona urbana geralmente podemos visualizar estrelas que chegam até magnitude 3 ou 4, pois devido à poluição luminosa das grandes cidades as estrelas de brilho mais fraco simplesmente desaparecem no céu, limitando e muito a observação mais detalhada. Nesses casos o uso de um binóculos ou telescópio ajuda a contornar parcialmente o problema. Quando observamos da zona rural, longe dos grandes centros, e se o clima ajudar, podemos visualizar estrelas de magnitude 6 até 8, a olho nu. Com o uso de um telescópio de 150 mm, chegamos à magnitude 12, na melhor das hipóteses.

Magnitude

A "ideia" da magnitude aparente surgiu com o astrônomo grego Hipparco (190 A.C. - 120 A.C.)

A “ideia” da magnitude aparente surgiu com o astrônomo grego Hipparco (190 A.C. – 120 A.C.) Imagem: Wikipedia

Sugestão de aplicativo para smartphone

 

Os integrantes do GPAA testaram o aplicativo gratuito Star Odyssey, que pode ser baixado do site da Play Store. O mesmo infelizmente está com a interface em inglês, mas quem tem um conhecimento básico desse idioma não vai ter dificuldade de utilizá-lo. O aplicativo é um banco de dados de aproximadamente 70 estrelas, sendo essas as mais brilhantes. Cada estrela possui uma boa descrição e outros detalhes, e cada estrela pode ser visualizada no programa Skeye, se o mesmo também estiver instalado no celular, de modo que depois de escolher uma estrela, basta clicar na opção”Find In Skeye”, e o programa planetário será ativado, mostrando uma mapa estelar a apontando onde a estrela se encontra. Mesmo o aplicativo sendo básico, nós o achamos muito útil para quem está iniciando na Astronomia, pois dá uma informação geral das estrelas mais brilhantes do céu, e com uma diversidade de informações sobre cada estrela, e ainda com a opção de localizá-la no céu por meio do aplicativo Skeye. O aplicativo Skeye possui uma versão gratuita disponível na internet.

20150313_200853

20150313_200905

 

 

 

20150313_200916

 

20150313_202247

 

Já que nesta seção estamos nos referindo às estrelas, como curiosidade incluímos este gráfico que mostra o tamanho de uma estrela bem conhecida, Betelgeuse, ou Alpha Orionis. Ela é uma estrela variável semirregular, com um diâmetro estimado de 2.7 bilhões de Km (ou 18 U.A.- Unidade Astronômica, que equivale à distância média da Terra ao Sol, ou aproximadamente 150 milhões de Km). Ou seja, por comparação, se Betelgeuse estivesse no centro do nosso sistema solar, ela abarcaria todo o diâmetro da órbita de Saturno.

betel

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: